terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Intuição

Intuição
Oswaldo Montenegro

Cante uma canção bonita falando da vida em ré maior
Cante uma canção daquela de filosofia, é mundo bem melhor
Cante uma canção que agüente essa paulada e a gente bate o pé no chão
Cante uma canção daquela, pula da janela, bate o pé no chão

Sem o compromisso estreito de falar perfeito, coerente ou não
Sem o verso estilizado, o verso emocionado, bate o pé no chão
Canto que não silencia, é onde principia a intuição
E nasce uma canção rimada da voz arrancada o nosso coração

Como sem licença, o sol rompe a barra da noite sem pedir perdão
Hoje quem não cantaria, grita a poesia e bate o pé no chão
Sem o compromisso estreito de falar perfeito, bate o pé no chão
Sem o verso estilizado, o verso emocionado, bate o pé no chão

Cante uma canção bonita falando da vida em ré maior
Cante uma canção daquela de filosofia, é mundo bem melhor
Cante uma canção que agüente essa paulada e a gente bate o pé no chão
E hoje quem não cantaria, grita a poesia e bate o pé no chão

Nenhum comentário: